segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Antígona do Neura



A espinha que poderá ser o novo espetáculo do Teatro da Neura com a tragédia de Sófocles "Antígona" já está formada.

Fico aqui pensando por quantas situações fomos obrigados a lidar com esse processo tão longo e me vejo numa constatação bem clara: arte definitivamente não é pra qualquer pessoa mesmo.

Nós podemos tocar algum instrumento, interpretar bem determinado texto, escrever bem algumas poesias ou expor obras em telas ou instalações até que bacanas, mas o que nos tornará artistas em potencial é a dedicação, a superação, a luta que travaremos pra continuar nessa crise pessoal que é a criação de algo novo.

Precisa ter coragem.

E agora, num processo que ao todo já contou com 15 pessoas no elenco, hoje contar com 8 já mostra que as transformações foram enormes. E teve de tudo: crises pessoais, vaidades mascaradas de crises pessoais, insegurança, exclusão, covardia, circunstâncias desse mundo capitalista, circunstâncias do mundo socialista, ego mesmo - daqueles bem inflados -, descobertas individuais e coletivas, ganhos, conquistas, lágrimas, risos e foco.

Acho curiosíssimo que essas características - individuais - tenha surgido justamente num processo contornado pela dramaturgia brechtiniana que propõe uma luta coletiva acima das briguinhas menores, mesquinhas.

Nosso amigo Brecht ainda nos joga na cara nossas contradições mesmo que não o conheçamos completamente. Viva!

Do que ficou, resta a reta final. Somos, meus amigos de Neura, lutadores e admiro a paciência que tivemos até agora. Alguns, convictos dos rumos que tomaram - justo ao meu ver, pelo menos não ficaram atrapalhando, infelizes - nos aplaudirão e nos abraçarão; outros acredito que sentiremos o riso com cara de azia e com observações típicas de quem vê de fora "comosenadativessecomaquiloqueviu".

VIVA ANTÍGONA das lutas impossíveis mas necessárias!
VIVA ISMÊNIA da omissão na vida, nos outros, em nós!
VIVA CREONTE que nos explora, que consumimos, que fortalecemos!
VIVA HÉMON, arauto de um Estado mais cuidadoso e sempre rechaçado!
VIVA TIRÉSIAS das visões que ninguém ousa olhar para poder seguir em frente sem responsabilidades!
VIVA GUARDA das mensagens urgentes, ofegantes e tardias!
VIVA CORO que segue os passos dessa classe média podre que não vê um palmo diante do nariz!

Eles estão em nós. E convivemos com eles nesse processo grandioso que Sófocles, Brecht e Teatro da Neura nos ofereceram.

Que venham as danças!!!

visitem o blog da peça se tiverem tempo

www.antigonaneura.blogspot.com

2 comentários:

  1. Estamos na reta final e hoje tenho a certeza mais q absoluta q todo esses momentos valeram a pena. Seja os bons ou os maus momentos.
    Para aqueles que choraram, sorriram , aprenderam e descobriram como eu; resta a ansiedade pra estréia!
    ´Novembro está chegando e promete!!!!




    Cibas

    ResponderExcluir
  2. Larissa Scripiliti1 de outubro de 2009 10:28

    esse coro

    arrepio na alma

    mal posso esperar!

    ResponderExcluir